Subscribe to receive notifications of new posts:

Subscription confirmed. Thank you for subscribing!

Visão geral das interrupções na internet no quarto trimestre de 2022

Loading...

13 min read
Internet disruptions overview for Q3 2022

A Cloudflare opera em mais de 250 cidades em mais de 100 países, onde nos interconectamos com mais de 10.000 provedores de rede para fornecer uma ampla gama de serviços a milhões de clientes. A amplitude de nossa rede e de nossa base de clientes nos fornece uma perspectiva única sobre a resiliência da internet, permitindo-nos observar o impacto das interrupções na internet.

Embora as interrupções na internet nunca sejam convenientes, o interesse on-line na Copa do Mundo de 2022, em meados de novembro, e o crescimento das compras on-line no final do ano em muitas áreas, durante novembro e dezembro, significam que os problemas de conectividade podem ser particularmente perturbadores. Dito isso, o quarto trimestre pareceu um pouco mais tranquilo do ponto de vista das interrupções na internet, embora o Irã e a Ucrânia continuassem sendo pontos críticos, como discutimos abaixo.

Dirigidas pelo governo

As interrupções na internet por várias horas são frequentemente usados por governos autoritários em resposta a protestos generalizados como forma de limitar as comunicações entre os manifestantes, bem como impedir que eles compartilhem informações e vídeos com o mundo exterior. Durante o quarto trimestre, Cuba e Sudão implementaram novamente essas interrupções, enquanto o Irã continuou a série de “toques de recolher na internet” nas redes móveis. Eles iniciaram em meados de setembro além da implementação de várias outras interrupções regionais na internet.

Cuba

No final de setembro, o furacão Ian cortou a energia em Cuba. Enquanto as autoridades trabalhavam para restaurar o serviço o mais rápido possível, alguns cidadãos responderam aos supostos atrasos com protestos que foram supostamente os maiores desde as manifestações antigovernamentais do ano anterior. Em resposta a esses protestos, o governo cubano cortou o acesso à internet várias vezes. Uma interrupção de 29 a 30 de setembro foi abordada na visão geral das interrupções na internet no terceiro trimestre de 2022, e o impacto do desligamento ocorrido em 1º de outubro (UTC) é mostrado na figura abaixo. O período deste foi semelhante ao do anterior, ocorrendo entre 19h em 30 de setembro e 2h45 em 1º de outubro (00h e 07h45 UTC em 1º de outubro).

Sudão

O dia 25 de outubro marcou o primeiro aniversário de um golpe no Sudão que descarrilou a transição do país para um governo civil, e milhares de cidadãos sudaneses marcaram o aniversário saindo às ruas em protesto. Há vários anos, o governo do Sudão tem o histórico de interromper o acesso à internet durante períodos de agitação civil e, mais uma vez, implementou uma interrupção na internet em resposta a esses protestos. A figura abaixo mostra uma perda quase total do tráfego da internet no Sudão em 25 de outubro entre 9h45 e 17h40, horário local (7h45 e 15h40 UTC).

Irã

Como cobrimos no post do blog do último trimestre, o governo iraniano implementou “toques de recolher” diários na internet, geralmente ocorrendo entre 16h e meia-noite, horário local (00h30 e 20h30 UTC), em três provedores de rede móvel, AS44244 (Irancell), AS57218 (RighTel) e AS197207 (MCCI), em resposta aos protestos em torno da morte de Mahsa Amini. Essas interrupções com toque de recolher da internet de várias horas continuaram no início de outubro, com interrupções adicionais semelhantes também observadas nos dias 8, 12 e 15 de outubro, conforme mostrado na figura abaixo. (A linha do gráfico para a AS57218 [Rightel], o menor dos três provedores móveis, sugere que as interrupções nesta rede não foram implementadas após o final de setembro).

Além das interrupções da rede móvel, várias interrupções regionais da internet também foram observadas no Irã durante o quarto trimestre, duas das quais analisamos abaixo. A primeira foi em Sanandaj, província do Curdistão, em 26 de outubro, onde uma interrupção total da internet foi implementada em resposta às manifestações que marcavam o 40º dia da morte de Mahsa Amini. A figura abaixo mostra uma perda total de tráfego começando às 10h30, horário local (7h UTC), com a interrupção durando até 8h05, horário local, em 27 de outubro (4h35 UTC). Em dezembro, foi observada uma interrupção na internet em nível de província a partir de 18 de dezembro, durando até 25 de dezembro.

Província do Curdistão, Irã. (Fonte: Dados do mapa ©2023 Google, MapaGISrael)

As interrupções na internet que ocorreram no Irã nos últimos meses tiveram um impacto econômico significativo no país. Um post de dezembro da Filterwatch compartilhou as preocupações, declaradas em uma carta da operadora móvel Rightel:

A carta, assinada pelo diretor administrativo da rede, Yasser Rezakhah, afirma que: “durante as últimas semanas, os recursos e a receita da empresa diminuíram significativamente durante a interrupção na internet e outras restrições, como a limitação da largura de banda da internet a partir de 21 de setembro. Elas também causaram uma diminuição no uso de dados dos assinantes, diminuindo o tráfego de dados em cerca de 50%.” A carta também afirma que a “falta contínua de compensação por perdas pode levar à falência”

O post também destacou as preocupações econômicas compartilhadas pelas autoridades iranianas:

Algumas autoridades iranianas expressaram preocupação com o custo das interrupções na internet, incluindo Valiollah Bayati, MP de Tafresh e Ashtian na província de Markazi. Em sessão pública em Majles (parlamento), ele afirmou que as contínuas interrupções na internet levaram ao encerramento de muitos empregos e as pessoas estão preocupadas, o governo e o presidente devem tomar as medidas necessárias.

As estatísticas em um artigo no site de notícias enthkhab.ir fornecem uma visão mais tangível do impacto econômico local, afirmando (via Google Tradutor):

Desde o dia 30 do mês de Shahrivar e com o início da interrupção na internet pelo governo, os negócios do país foram danificados diariamente em pelo menos 50 milhões de tomans e no máximo 500 milhões de tomans. Mais de 41% das empresas perderam de 25 a 50% de sua receita nesse período, e cerca de 47% tiveram redução de mais de 50% nas vendas. Uma revisão dos dados do assistente de pesquisa da organização de assuntos fiscais do país mostra que a interrupção na internet no Irã causou 3 bilhões de tomans de danos por dia. Ou seja, o custo de 3 meses de interrupção na internet no Irã é igual a 43% da receita anual de petróleo do país (US$ 25 bilhões).

Quedas de energia

Bangladesh, 4 de outubro

Mais de 140 milhões de pessoas em Bangladesh ficaram sem eletricidade em 4 de outubro como resultado de uma falha na rede causada por uma falha das empresas de distribuição de energia em seguir as instruções do National Load Dispatch Center para reduzir a carga. A queda de energia resultante gerou uma redução, observada no tráfego da internet do país, começando às 14h05, horário local (8h05 UTC), conforme mostrado na figura abaixo. A interrupção durou aproximadamente sete horas, com o tráfego retornando aos níveis esperados por volta das 19h, horário local (15h UTC).

Paquistão

Mais de uma semana depois, um problema semelhante no Paquistão causou quedas de energia em toda a parte sul do país, incluindo Sindh, Punjab e Baluchistão. As quedas de energia foram causadas por uma falha no sistema de transmissão sul da rede nacional, supostamente devido a equipamentos defeituosos e manutenção abaixo do padrão. Como esperado, as quedas de energia resultaram em interrupções na conectividade com a internet, e a figura abaixo ilustra o impacto observado em Sindh, onde o tráfego caiu quase 30% em relação à semana anterior, começando às 9h35, horário local (4h35 UTC), de 6 de outubro. A interrupção durou mais de 15 horas, com o tráfego retornando aos níveis esperados à 1h de 7 de outubro (20h UTC de 6 de outubro).

Sindh, Paquistão (Fonte: Dados do mapa ©2023 Google)

Quênia

Em 24 de novembro, um tweet da Kenya Power às 15h25, horário local, observou que eles haviam “perdido o fornecimento de energia em massa para várias partes do país devido a um distúrbio no sistema”. Um tweet subsequente publicado pouco mais de seis horas depois, às 21h50, horário local, afirmou que “o fornecimento normal de energia foi restaurado em todas as partes do país”. Os carimbos de data/hora nessas notificações se alinham com a perda de tráfego da internet visível na figura abaixo, que durou entre 15h e 20h50, horário local (12h e 17h50 UTC).

Estados Unidos (Condado de Moore, Carolina do Norte)

Em 3 de dezembro, duas subestações elétricas no Condado de Moore, na Carolina do Norte, foram alvo de tiros, com os danos resultantes causando quedas de energia localizadas que levaram vários dias para serem resolvidas. As quedas de energia supostamente começaram logo após às 19h, horário local (00h UTC em 4 de dezembro), resultando na perda simultânea de tráfego da internet em comunidades no Condado de Moore, como visto na figura abaixo.

O tráfego da internet na comunidade de West End pareceu retornar ao meio-dia (UTC) de 5 de dezembro, mas essa recuperação aparentemente durou pouco, pois caiu novamente durante a tarde de 6 de dezembro. Em Pinehurst, o tráfego começou a se recuperar lentamente após cerca de um dia, mas voltou a níveis mais normais por volta das 8h, horário local (13h UTC), em 7 de dezembro.

West End e Pinehurst, Carolina do Norte (Fonte: Dados do mapa ©2023 Google)

Ucrânia

A guerra na Ucrânia está acontecendo desde 24 de fevereiro e a Cloudflare abordou o impacto da guerra na conectividade da internet do país em vários posts do blog ao longo do ano (março, abril, maio, junho, outubro, dezembro) . Ao longo do quarto trimestre de 2022, os ataques de mísseis russos causaram danos generalizados à infraestrutura elétrica, resultando em quedas de energia e interrupções na conectividade com a internet. Abaixo, destacamos vários exemplos de interrupções na internet observadas na Ucrânia durante o quarto trimestre, mas são apenas algumas das muitas interrupções que ocorreram.

Em 20 de outubro, a destruição de várias usinas elétricas em Kiev resultou em uma queda de 25% no tráfego da internet na cidade de Kiev em comparação com as duas semanas anteriores. A interrupção começou por volta das 9h, horário local (7h UTC).

Cidade de Kiev, Ucrânia. (Fonte: Dados do mapa ©2023 Google)

Em 23 de novembro, quedas de energia generalizadas após os ataques russos causaram uma redução de quase 50% no tráfego da internet na Ucrânia, começando logo após as 14h, horário local (12h UTC). Essa interrupção durou quase um dia e meio, com o tráfego retornando aos níveis esperados por volta das 23h45, horário local, em 24 de novembro (21h45 UTC).

Em 16 de dezembro, quedas de energia resultantes de ataques aéreos russos direcionados à infraestrutura de energia causaram uma queda de cerca de 13% no tráfego da internet em nível nacional às 9h15, horário local (7h15 UTC), com a interrupção durando até meia-noite, horário local (22h UTC). No entanto, ao nível de rede, o impacto foi mais significativo, com o AS13188 (Triolan) registrando uma quebra de tráfego de 70% e o AS15895 (Kyivstar) 40%, ambos apresentados nas figuras abaixo.

Cortes de cabos

Ilhas Shetland, Reino Unido

As Ilhas Shetland dependem principalmente do sistema de cabos submarinos SHEFA-2 para conectividade com a internet, conectando-se através do continente escocês. No final da noite de 19 de outubro, danos a este cabo deixaram as Ilhas Shetland quase completamente off-line. Na época, havia grande preocupação com a possível sabotagem dos cabos submarinos devido à sabotagem relatada dos gasodutos Nord Stream no final de setembro, mas as autoridades acreditam que o dano ao cabo foi causado por navios de pesca errantes, e não por sabotagem.

A figura abaixo mostra que o impacto do dano ao cabo foi relativamente curto, em comparação com as interrupções de vários dias na internet frequentemente associadas a cortes de cabos submarinos. O tráfego caiu logo após as 23h, horário local (22h UTC), em 19 de outubro e se recuperou 14 horas e meia depois, logo após às 14h30, horário local (13h30 UTC), em 20 de outubro.

Ilhas Shetland, Reino Unido. (Fonte: Dados do mapa ©2023 GeoBasis-DE/BKG (©2009), Google)

Desastres naturais

Ilhas Salomão

Os terremotos frequentemente causam danos à infraestrutura e quedas de energia nas áreas afetadas, resultando em interrupções na conectividade com a internet. Observamos esse tipo de interrupção nas Ilhas Salomão depois que um terremoto de magnitude 7.0 ocorreu perto de lá em 22 de novembro. A figura abaixo mostra o tráfego da internet no país caindo significativamente às 13h, horário local (2h UTC), e se recuperando 11 horas depois, por volta das 20h, horário local (9h UTC).

Problemas técnicos

Quirguistão

Em 24 de outubro, uma interrupção de três horas na internet foi observada no Quirguistão entre 11h e 14h, horário local (5h e 8h UTC), conforme mostrado na figura abaixo. Segundo o Ministério do Desenvolvimento Digital do país, o problema foi causado por “um acidente em uma das principais linhas que alimentam a internet”, mas não foram fornecidos detalhes adicionais sobre o tipo de acidente ou onde ocorreu.

Austrália (Aussie Broadband)

Os clientes do provedor australiano de internet de banda larga Aussie Broadband em Victoria e New South Wales sofreram breves interrupções na internet em 27 de outubro. Conforme mostrado na figura abaixo, o tráfego AS4764 (Aussie Broadband) de Victoria caiu aproximadamente 40% entre 15h05 e 17h45, horário local (4h05 e 6h45 UTC). Uma perda de tráfego semelhante, mas mais breve, em New South Wales, também foi observada, com duração entre 15h15 e 15h50, horário local (4h15 e 4h50 UTC). Um representante da Aussie Broadband forneceu informações sobre a causa subjacente da interrupção, afirmando que “foi feita uma alteração de configuração que foi enviada por meio de automação para os servidores DHCP nesses estados. … A alteração foi revertida, mas colocar as sessões on-line novamente está demorando para o VIC, e agora estamos trazendo manualmente as áreas, uma de cada vez.”

Victoria e New South Wales, Austrália. (Fonte: Dados do mapa ©2023 Google)

Haiti

No Haiti, os clientes do provedor de serviços de internet Access Haiti tiveram o serviço interrompido por mais de meio dia em 9 de novembro. A figura abaixo mostra que o tráfego da internet para AS27759 (Access Haiti) caiu vertiginosamente por volta da meia-noite, horário local (5h UTC), permanecendo assim até 14h30, horário local (19h30 UTC), quando se recuperou rapidamente. Um post no Facebook da Access Haiti explicou aos clientes que “devido a uma interrupção intermitente em um de nossos circuitos internacionais, nossa rede está passando por dificuldades que causam lentidão no serviço de internet”. Embora a Access Haiti não tenha fornecido detalhes adicionais sobre qual circuito internacional estava passando por uma interrupção, a submarinecablemap.com mostra que dois cabos submarinos fornecem conectividade internacional à internet para o Haiti, o Bahamas Domestic Submarine Network (BDSNi), que conecta o Haiti às Bahamas, e o Fibralink, que liga o Haiti à República Dominicana e à Jamaica.

Desconhecido

Muitas interrupções na internet podem ser facilmente vinculadas a uma causa subjacente, seja por meio de cobertura na imprensa, um evento simultâneo de clima ou desastre natural ou comunicação de um provedor afetado. No entanto, as causas de outras interrupções observadas permanecem desconhecidas, pois os provedores afetados permanecem em silêncio sobre o que causou o problema.

Estados Unidos (Wide Open West)

Em 15 de novembro, os clientes da Wide Open West, um provedor de serviços de internet com presença em vários estados nos Estados Unidos, sofreram uma interrupção do serviço de internet que durou pouco mais de uma hora. A figura abaixo ilustra o impacto da interrupção no Alabama e Michigan em AS12083 (Wide Open West), com o tráfego caindo às 11h50, horário local (16h50 UTC), e retornando logo após às 13h, horário local (18h UTC).

Cuba

Cuba está acostumada a interrupções na internet, seja devido a paralisações dirigidas pelo governo (como a discutida acima), cortes de fibra ou quedas de energia. No entanto, nenhuma causa subjacente foi compartilhada para a interrupção de sete horas no tráfego da internet do país observada entre 23h45 de 25 de novembro e 6h45 de 26 de novembro, horário local (4h45 e 11h45 UTC de 26 de novembro). O tráfego caiu até 75% em relação aos níveis anteriores durante a interrupção.

Como provedora de serviços de conectividade à internet por satélite em órbita terrestre baixa (LEO), as interrupções no serviço da SpaceX Starlink podem ter um impacto global. Em 30 de novembro, foi observada uma interrupção no AS14593 (SPACEX-STARLINK) entre 20h50 e 21h30 UTC, com o volume de tráfego caindo brevemente para quase zero. Infelizmente, a Starlink não reconheceu o incidente, nem forneceu qualquer motivo para a interrupção.

Conclusão

Analisando as interrupções da internet observadas durante 2022, vários temas comuns podem ser encontrados. Em países com governos mais autoritários, a internet costuma ser utilizada como arma para limitar a comunicação dentro do país e com o mundo exterior por meio de interrupções na internet em nível de rede, regional ou nacional. Conforme observado acima, essa abordagem foi usada agressivamente no Irã durante os últimos meses do ano.

A conectividade com a internet rapidamente se tornou uma vítima da guerra na Ucrânia. No início do conflito, as interrupções no nível de rede eram comuns e algumas redes ucranianas acabaram tendo o tráfego redirecionado por meio de provedores de internet russos upstream. No final do ano, como a infraestrutura de energia elétrica foi cada vez mais o alvo dos ataques russos, quedas de energia generalizadas resultaram em interrupções de várias horas do tráfego da internet em todo o país.

Enquanto a erupção vulcânica em Tonga deixou o país off-line por mais de um mês devido à dependência de um único cabo submarino para conectividade com a internet, os danos causados por terremotos em outros países ao longo do ano resultaram em interrupções muito mais curtas e limitadas.

E enquanto os problemas em cabos submarinos podem afetar vários países ao longo de sua rota, o advento de serviços, com presença cada vez mais global, como o SpaceX Starlink, significa que as interrupções de serviço acabarão tendo um impacto muito mais amplo. (A base de assinantes da Starlink é comparativamente pequena no momento, mas atualmente ela possui uma presença de serviço em mais de 30 países ao redor do mundo.)

Para acompanhar as interrupções na internet à medida que ocorrem, verifique o Cloudflare Radar Outage Center (CROC) e siga @CloudflareRadar no Twitter. Para analisar as interrupções observadas no início de 2022, consulte os posts do blog do primeiro, segundo e terceiro trimestres sobre a visão geral das interrupções na internet.

Nós protegemos redes corporativas inteiras, ajudamos nossos clientes a construírem aplicativos em escala de internet com eficiência, aceleramos qualquer site ou aplicativo de internet , evitamos ataques DDoS, mantemos os invasores afastados, e podemos ajudá-lo em sua jornada para a Zero Trust.

Acesse 1.1.1.1 de qualquer dispositivo para começar a usar nosso aplicativo gratuito que tornará sua internet mais rápida e mais segura.

Para saber mais sobre nossa missão de ajudar a construir uma internet melhor, comece aqui. Se estiver procurando uma nova carreira para trilhar, confira nossas vagas disponíveis.

Cloudflare Radar (PT) Outage (PT) Português Internet Traffic (PT)

Follow on X

David Belson |@dbelson
Cloudflare |Cloudflare

Related Posts